14 de março de 2010

Indefinição?

A gente aprende e desaprende. É incrível ver como as coisas acontecem de maneiras múltiplas. Tudo tem seu oposto. Tudo tem suas vantagens. E detalhe, mesmo que a gente solte aos quatro cantos palavras de ordem, é inevitável, a gente sempre volta atrás...

Vai uma música para ilustrar! (Hoje, as palavras correram de mim.)

Tal do Amor - Jay Vaquer

Às vezes me sinto a peça faltando em você
Às vezes me sinto à beça, você nem merece ter

Às vezes me sinto um castigo,uma praga, sua maldição
Às vezes me sinto um abrigo,uma graça, sua salvação

Mas se me desmantelo ao acaso
Logo me refaço ao sabor do vento que sopra a favor
8 e 80 por ruas estreitas do pensamento
De todo bom jogador

Às vezes me sinto um ódio sobrando em você
Às vezes me sinto um país que você nunca vai conhecer

Às vezes me sinto arriado nos quatro pneus
Às vezes me sinto nomeado interino de Deus

Mas se me desmantelo ao acaso
Logo me refaço ao sabor do vento que sopra a favor
8 e 80 por ruas estreitas do pensamento
De todo bom jogador

E se a gente perder
Que seja derrota suada, sofrida, roubada...
De mão beijada nem a pau!
E se a gente ganhar
Que seja vitória disputada, merecida, conquistada...
Vou pro pau!
Apostar na parte bacana do tal do amor
Do tal do amor

3 comentários:

  1. Tudo tem seu oposto... falou tudo!

    ResponderExcluir
  2. Curte Jay Vaquer? Dá uma ouvida no som do Bleffe

    http://bit.ly/2wJdCC

    Se gostar, pode baixar, é DE GRAÇA!!!

    http://bit.ly/4LPNUD

    ResponderExcluir
  3. O ser humano e seus sentimentos mais complexos!!rsrsr

    ResponderExcluir